02/10/11 | Biertour - Europa 2011

Viro monge? A vontade bateu na La Trappe

Olhando no mapa pode até parecer difícil chegar, mas um ônibus faz a ligação direta entre o terminal central da pequena Tilburg e o mosteiro que hospeda a cervejaria La Trappe. Assim, em poucos minutos chegamos a região rural da cidade e a entrada do mosteiro.

A abadia foi fundada em 1884, quando os monges fugiram para a Holanda devido a perseguição que estavam sofrendo na Normandia. Como um dos monges era filho da cervejeiros, uma das fontes de renda escolhidas foi a produção de cerveja, e assim começou a primeira cervejaria trapista fora da Bélgica.

Como regra para ser reconhecida como uma cervejaria trapista, toda a verba da produção de cerveja é destinada em projetos sociais na Indonésia e Uganda. Além disso, mesmo não envolvidos na produção, os monges são os proprietários da marca e das receitas. A produção, também a distribuição e controle de qualidade, são feitos pela holandesa Bavaria.

Além do passeio pela cervejaria, que até alguns anos era proibida a mulheres, o local também possui um restaurante com sugestão de harmonizações entre os pratos servidos e as cervejas da casa.

Aproveitando a oportunidade, perguntei a um dos monges o que significa o batch escrito no rótulo das Quadrupe envelhecidas em carvalho. Cada batch representa um barril de uma bebida específica, sendo o 5 de vinho suave, o 6 de vinho seco e o 7 de uisque, esse último comprado de lembrança.

La Trappe Brouwerij
Eindhovenseweg, 3
Tilburg, Holanda
Pegue o ônibus 141 no terminal, que sai a cada hora