27/11/12 | Eventos

Definidos os estilos do VIII Concurso Nacional de Cerveja Artesanal

Entre os dias 30 de maio e 2 de junho de 2013, cervejeiros caseiros de todo o Brasil estarão reunidos em Curitiba para o VIII Concurso Nacional de Cerveja Artesanal. Entre palestras e grandes festas com muita cerveja feita em casa, haverá também o tradicional concurso de cervejas, com cinco estilos diferentes.

Nesta segunda, foram anunciados os estilos que serão avaliados, todos dentro do BJCP como no último concurso. Para quem não conhece, o BJPC é um dos guias de estilo de cerveja adotados no mundo e o de maior aceitação no Brasil. Cada estilo possui algumas características definidas que podem ser medidas, com cor, amargor e teor alcoólico, mas também outras subjetivas, como aromas e sabores desejados, ou não.

Jardim Botânico de Curitiba

Veja agora uma breve descrição de cada estilo que você pode concorrer. Normalmente os cervejeiros devem enviar aproximadamente 2 litros de cerveja para serem avaliados, em garrafas padronizadas de 600ml, identificadas com uma ficha padrão da entidade julgadora. A organização do concurso deve detalhar melhor esse procedimento ao publicar o regulamento.

10B American Amber Ale

Visão Geral: Como uma Pale Ale americana com mais corpo, mais rica em caramelo e mais equilibrada para o malte do que para o lúpulo (mesmo que as quantidades de lúpulo possam ser significativas).

Ingredientes: Malte pale ale, tipicamente americano de duas fileiras. Maltes cristal de médio a escuro. Pode também conter grãos especiais que adicionam caráter e singularidade específicos. Lúpulos americanos, muitas vezes com sabores cítricos, são comuns, mas outros também podem ser utilizados. A água pode variar no conteúdo de sulfatos e carbonatos.

12B Robust Porter

Visão Geral: Uma ale escura, maltosa, com sabor complexo e caráter torrado substancial.

Ingredientes: Pode conter diversos maltes, destacando-se maltes e cereais torrados, que normalmente inclui o “black patent malt” (malte chocolate e/ou cevada torrada também pode estar presente em algumas versões).O lúpulo é usado para amargor, sabor e/ou aroma; frequentemente de variedades do Reino Unido ou norte-americanas. A água tipicamente contem teor de carbonatos variando de moderado a alto. A levedura ale pode ser de linhagens norte-americanas de caráter limpo, ou variedades caracteristicamente inglesas.

16C Saison

Visão Geral: Uma ale refrescante, com frutado/condimentado de médio a forte, coloração amarelo alaranjado, intensamente carbonatada, bem lupulada, seca e com certa acidez, que acaba com a sede.

Ingredientes: O malte Pilsen domina o conteúdo de grãos, embora uma porção de malte Viena e/ou Munique contribui com cor e complexidade. Pode conter outros tipos de cereais como trigo e espelta (trigo-vermelho Triticum spelta). Adjuntos como açúcares e mel também podem servir para adicionar complexidade e reduzir o corpo. Amargor e sabor de lúpulo podem ser um pouco mais perceptíveis do que em muitas outras ales belgas. Ocasionalmente uma Saison pode ter dry-hopping. Lúpulos nobres, Styrian Goldings ou East Kent Goldings são os mais comuns. Uma ampla variedade de ervas e especiarias podem ser usadas para adicionar complexidade e singularidade às versões mais fortes, porém devem sempre misturar- se bem com o caráter de lúpulo e da levedura. Vários teores de acidez podem ser criados pela adição de sulfato de cálcio, malte acidificado, mosto azedo ou Lactobacillus. A água dura comum na maior parte da Valônia pode acentuar o amargor e o final seco.

3A Vienna Lager

Visão Geral: Caracterizada por uma maltosidade elegante e suave que seca no final para evitar se tornar doce.

Ingredientes: O malte Viena fornece um perfil levemente tostado e complexo, rico em melanoidina. Assim como as Oktoberfests, apenas maltes de melhor qualidade, juntamente com lúpulos continentais (preferencialmente de variedades nobres) devem ser utilizados. Água moderadamente dura e rica em carbonatos. Pode conter maltes caramelo e/ou mais escuros para adicionar cor e dulçor, mas os maltes caramelo não devem adicionar aroma e sabor significantes e os maltes escuros não devem adicionar características de torrado.

Estilo Livre

Você é um cervejeiro! Você é livre! Está esperando o que para se livrar das amarras do BJCP e criar uma cerveja única e livre de qualquer restrição? Viva a Revolução!