10/02/15 | Economia e Mercado

Quais os impactos da sociedade entre Wäls e Bohemia?

Hoje pela manhã foi anunciada a formação de sociedade entre as cervejarias Bohemia, de propriedade da Ambev, e a Wäls, empresa familiar de Belo Horizonte. Com a aquisição/fusão/join venture, a presidência da Wäls passa para Daniel Wakswaser, da Bohemia, enquanto os irmãos José Felipe e Thiago Pedras Carneiro passam a atuar como diretores da mesma.

screenshot.405

Para consolidar a parceria, já foi anunciada a produção de uma cerveja colaborativa entre a Wäls e a Bohemia. A Saison Dalliance será uma cerveja produzida com leveduras do banco da Leffe, com adição de Sálvia, Gengibre e Hortelã.

O movimento  não é uma surpresa, já que nos últimos anos a Ambev tem atacado fortemente o mercado de cervejas artesanais nos Estados Unidos através de aquisições de microcervejarias. Grandes nomes como a Goose Island já foram compradas e outras, como a Cigar City, estão na mira da gigante, apesar da propaganda da Budweiser veiculada no Super Bowl.

Para a Wäls, a sociedade é uma vantagem imensa em relação a outras cervejarias artesanais brasileiras. Além de oportunidades para aquisição de insumos e equipamentos com benefícios através de sua sócia, a cervejaria ainda pode usufruir da cadeia de distribuição a nível nacional, o que vai tornar a entrega mais ágil e fazer com que melhores produtos cheguem à prateleira do consumidor. Se você duvida dessa vantagem, lembre que cervejas como a Eisenbahn e a Baden Baden tem essas vantagens através do apoio da Brasil Kirin e um ótimo custo benefício.

Infelizmente, o mercado de cerveja artesanal perde um importante player. Apesar da cervejaria manter sua autonomia, algumas revindicações do setor, como a aprovação do Simples Nacional para cervejarias, perdem um grande nome na briga, pois a Wäls dificilmente se colocará contra os interesses de seu sócio.

Por muito tempo os brasileiros viam o mercado de cerveja como algo polarizado, com as macros no lado negro, visando o lucro a qualquer custo, e as micros como a rebelião, fazendo cerveja por amor e unicornios coloridos. Apesar dessa visão ser mais que atrasada, com a sociedade entre Wäls e Bohemia fica mais claro que todos os players tem um interesse em comum: ganhar dinheiro! Não sei como as pessoas ainda se surpreendem com isso, já que estamos falando de empresários, não de entidades filantrópicas.

Via Valor, Exame e uma galera no Facebook


Nicholas Bittencourt. Analista de sistemas, nobre bacharel em Direito, fotógrafo, cervejeiro e blogueiro. Quando sobra tempo, também faço pipoca.

Comentários

  • 11/02
    11:30

    É isto que desanima. Estive na Wäls à umas 2 semanas e fiquei pensando como eles iriam dar conta de produzir cerveja para atender toda a sua demanda depois que ganhou o World Bier Cup no ano passado em um local tão pequeno e limitado. Aí está a resposta.


  • É um movimento esperado no mercado, Fabrício. Assim como a Eisenbahn manteve a qualidade com o apadrinhamento pela Kirin, a Wäls não deve mudar e só vai ganhar em qualidade.


Leave a comment