24/09/15 | Lugares

Apesar da Crise, Cervejaria Schornstein investe na implantação da nova fábrica em Pomerode

Dos 30 mil litros de chope produzidos por mês em 2013, a Schornstein passou para uma produção mensal de 100 mil litros em 2015. Contrária ao momento de instabilidade econômica, a cervejaria decidiu instalar uma nova unidade de produção em um imóvel de 2,5 mil m², que fica na área central da cidade. O novo espaço está localizado no antigo prédio do mercado Weege, um imóvel da primeira metade do século passado que tem parte da estrutura tombada pelo patrimônio histórico.

Foto_036-2015 ( Ilustração - Projeto da nova fábrica da Schornstein)

O prédio com mais de 50 anos está sendo restaurado e revitalizado para manter as características originais. Quando ficar pronto, dará lugar a nova fábrica com capacidade para produzir 300 mil litros de chope por mês. O diretor da Schornstein, Adilson Altrão, explica que no terreno anexo à nova unidade, será erguido um grande centro comercial com galerias de lojas, cafés e gastronomia. “O espaço será voltado especialmente para o atendimento ao turista. Isto dará uma nova dimensão ao principal centro de concentração turística de Pomerode, espaço que conta hoje com o Bar de Fábrica da Cervejaria, Zoológico, Teatro, Centro Cultural e Museu”. O investimento da cervejaria está orçado em aproximadamente R$ 4 milhões, com inauguração prevista para Junho de 2016. “Queremos aproveitar a data para comemorar os 10 anos de fundação da Schornstein, os 500 anos da Lei de Pureza Cervejeira e ainda pretendemos lançar uma linha de cervejas comemorativas”, comenta o diretor.

A Schornstein foi fundada há nove anos e está sediada em um prédio charmoso, também tombado pelo patrimônio histórico. Uma das características marcantes é uma imponente chaminé de 30 metros de altura, feita de tijolos maciços artesanais. Para os próximos anos a cervejaria aposta na continuidade do aumento da demanda e no crescimento expressivo das cervejas artesanais. Em 2014 a Schornstein apresentou um crescimento de 79% e neste ano deverá fechar com crescimento próximo a 70%, número que permanece expressivo se comparado ao momento econômico do país.