19/04/17 | Curiosidades

Pode ficar tranquilo: cervejas sobrevivem a ataques nucleares!

Durante o início da Guerra Fria, quando Estados Unidos e a União Soviética construíam seu arsenal nuclear, cientistas pesquisavam o efeito das explosões nucleares em praticamente tudo. Nem a cerveja escapou de ser bombardeada por radiação para sabermos se ela ainda seria consumível após uma guerra nuclear.

A Operação Bule (Operation Teapot, no original), que aconteceu em 1955, detonou 14 bombas nucleares para serem testados seus efeitos. Como parte do trabalho, diversas bebidas foram depositadas próximas às explosões para entendermos como reagiam.

Uma bomba nuclear contra uma cerveja

Dispostas a diferentes distâncias do centro da explosão, as bebidas foram dispostas em diferentes formatos. Algumas foram enterradas. Outras foram empilhadas. Até mesmo jogadas pelo campo. Com a bebida mais próxima sendo localizada a 400m do centro, foram realizadas duas explosões. A mais forte possuindo 20 kilotons de força. Em comparação, as bombas lançadas contra o Japão possuíam 16 kiloton.

As cervejas foram testadas e, salvo as mais próximas do alvo, todas as quantidades de radiação eram toleráveis em caso de emergência. Alguns sommeliers  cientistas até mesmo beberam as cervejas para saber se havia alguma alteração sensorial em função da explosão ou da radiação recebida, mas não conseguiram perceber nenhum efeito significativo.

Pode ficar razoavelmente tranquilo! Caso você sobreviva a uma guerra nuclear, pode sobreviver consumindo as cervejas que encontrar nos escombros.

Fonte Business Insider