08/05/17 | Economia e Mercado

Escola Superior de Cerveja e Malte se qualifica para ampliar a oferta para estudantes do exterior

Processo de internacionalização envolve qualificação dos profissionais e divulgação no exterior

Ao receber mais de 4,5 mil estudantes em apenas três anos de fundação e contar com uma estrutura física que se equipara às maiores instituições de ensino cervejeiro do mundo, a Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM) passou a ser considerada uma das referências internacionais na área. No entanto, a entidade que tem sede na Capital Nacional da Cerveja, Blumenau (SC), quer ainda mais. A escola, por ser a primeira e única neste estilo na América Latina, intensifica o seu projeto de internacionalização para atrair novos estudantes estrangeiros.

Para atingir o objetivo, a ESCM está investindo em duas importantes vertentes. A primeira é focada na formação dos colaboradores e professores da instituição, para que todos estejam qualificados de acordo com as necessidades do público externo. “Atualmente a maior barreira no processo de internacionalização é a língua, pois nossos cursos são apenas em português, mas já estamos com o planejamento de buscar professores internacionais e preparar nossos educadores para atender melhor esta demanda”, explica Carlo Enrico Bressiani, diretor geral da ESCM.

A segunda vertente do projeto de internacionalização é focada na divulgação da estrutura e dos serviços da Escola Superior de Cerveja e Malte. Durante todo 2017, integrantes da instituição irão participar de cerca de 10 eventos mundiais. “A nossa participação em eventos de outros países e apoio ao desenvolvimento do mercado nesses locais é um fator importante para tornar a Escola conhecida. Além disso, nos permite trazer aos cervejeiros de países vizinhos a oportunidade de se qualificar a preços mais acessíveis e com programas que entendem a sua realidade”, afirma Bressiani. A ESCM também está investindo em campanhas de marketing digital e publicações na área, como a participação na revista internacional do Craft Beer Conference, distribuída no evento em Washington (EUA).

O processo de internacionalização iniciou de maneira gradativa nos primeiros meses da instituição em 2014 com o mercado brasileiro. Em poucos anos, a escola se consolidou na oferta de cursos e serviços em todos os estados do Brasil e deu os primeiros passos rumo a sua divulgação internacional. “Em pouquíssimos anos a ESCM cresceu em estrutura física, qualificação de educadores, nos envolvemos no apoio ao mercado cervejeiro, na consolidação da Capital Nacional da Cerveja, nos roteiros para divulgação do setor, entre outros. Temos trabalhado para que, em poucos anos, também possamos atingir mais este objetivo”, conclui Bressiani.