14/02/17 | Lugares

Por que vale a pena visitar uma cervejaria?

Depois que começamos a tomar gosto pela cultura cervejeira, visitar cervejarias é o tipo de roteiro turístico que você vai tentar incluir em todo passeio que fizer, isso se a cervejaria não for o objetivo principal da viagem. Ainda que em termos de maquinário e ingredientes, todas as cervejarias sejas essencialmente a mesma coisa, cada visita pode guardar uma surpresa que você vai carregar para a vida.

Degustação de cervejas durante tour pelas cervejarias locais de Curitiba

Bebendo na teta da vaca

Se você quer beber uma cerveja extremamente fresca, a melhor forma é experimentar direto do tanque fermentador, ou direto da teta da vaca, como dizem. Em muitos roteiros por cervejarias, os guias procuram cervejas que já estão no ponto de envase e servem pequenas amostras aos visitantes. Como muitas cervejarias apenas trabalham com produtos pasteurizados, é a oportunidade de conhecer o que chamam de cerveja viva, com as leveduras ainda em suspensão na bebida.

Melhor que beber no tanque de inox é a experiência que acontece na cervejaria Pilsner Urquell, localizada em Plzen, na República Tcheca. A cervejaria possui um conjunto de tonéis de madeira onde as cervejas são fermentadas abertas no ambiente. Os visitantes da fábrica recebem uma prova dessa cerveja única.

Em Plzen, visite a fábrica da Pilsener Urquell

Souvenirs da cervejaria e petiscos locais

Meu armário hoje é composto basicamente de camisas de cervejarias. Isso foi um processo natural, porque em toda cervejaria que vou acabo comprando uma pequena lembrança na loja anexa à fábrica. A compra fica mais fácil ainda quando você pode acompanhar a cerveja com petiscos locais.

Na cervejaria Eisenbahn, em Blumenau (SC), existe um desafio que apenas os cervejeiros mais destemidos conseguem encarar. O Rollmops, quase considerado arma biológica pelas Nações Unidas, é um petisco típico da região que consiste em um peixe em conserva com cebola. Vale a experiência e harmonização com as cervejas locais.

A Eisenbahn mais fresca que você já provou

Visitas que são um show a parte

Existem cervejarias que transformam suas visitas em um show a parte. Apresentações em vídeo sobre a cervejaria e atrações interativas para os visitantes conhecerem o processo de produção são combinados em um roteiro que vai fascinar mesmo aqueles que já visitaram muitas cervejarias.

A Heineken Experience, em Amsterdam (Holanda), é um desses casos. Além de um cinema 4D, daqueles que até espirra água em você, mostrando o processo de produção da cerveja, os visitantes ainda tem a oportunidade de aprender a tirar chopp com um dos garçons treinados ali mesmo na cervejaria.

A experiencia da Heineken Experience

Uma aula de história

A história da cerveja e da humanidade caminham juntas há milhares de anos. Por isso mesmo, cada novo aprendizado sobre cerveja acaba sendo uma aula de história da humanidade. Isso fica melhor ainda quando a cervejaria está integrada com o local onde ela foi fundada, com sua história fazendo parte da história local.

A Cervejaria Bohemia, em Petrópolis (RJ), fundou em 2012 um museu contando a história da cervejaria e da cidade. Além de conhecer toda a história da cerveja, o visitante ainda conhece o crescimento do mercado brasileiro e como a fábrica participou da história da cidade.

Visitamos o Museu da Cervejaria Bohemia, em Petrópolis

A cerveja com uma função social

Algumas cervejas vão além da sua função econômica (dar lucro) e acabam tendo uma função social como principal razão de existir. A visita a essas cervejarias vai muito além de conhecer o processo, mas de entender o porquê dessas cervejarias existirem e continuarem produzindo.

É o caso da Cervejaria La Trappe, em Tilburg (Holanda), que faz parte da Ordem Trapista. Um dos princípios da ordem é que o lucro da cervejaria seja revertido em projetos sociais coordenados pelo mosteiro onde a cerveja é produzida. Além da visita, você ainda pode beber com responsabilidade social.

Viro monge? A vontade bateu na La Trappe

Um mundo completamente diferente

Algumas cervejas são produzidas de uma forma tão diferente que a visita às cervejarias se torna uma coisa única. Para quem já viu muito tanque de inox e não consegue mais participar de visitas guiadas com direito a touca e botas, conhecer uma cervejaria especializada em lambics pode ser um choque.

Quando conheci a Cantillon, de Bruxelas (Bélgica), foi como se tivesse levado um soco no estômago. O primeiro choque foi quando recebi o mapa do roteiro e o “guia” disse que eu podia ir sozinho conhecer a cervejaria. Outro ponto alto é a sala de fermentação, cheia de barris de madeira onde as cervejas ficam até 3 anos.

Fazendo uma lambic na Cantillon

Inspirado no artigo do The Phoenix